Trans Day NIGS na luta pela despatologização das identidades trans

20/10/2012 10:40

 

A patologização das identidades trans, com todos os dilemas e paradoxos que isso implica, foi o foco dos debates que aconteceram no III Trans Day NIGS – Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades, realizado nos dias 9 e 10 de outubro de 2012, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisador@s que estudam identidades ou expressões de gênero, ativistas dos movimentos de travestilidades e transexualidades e formulador@s  de políticas públicas no campo dos direitos humanos e da saúde se reuniram durante dois dias para compartilhar vivências, reflexões e propostas em torno da população trans no Brasil, grupo com pouca visibilidade no campo das lutas LGBTTT.

Organizado pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC, o seminário fez parte do circuito internacional de atividades da Campanha Internacional Stop Trans Pathologization que marcam a luta pela despatologização das identidades transexuais e transgêneros ao redor do mundo,sendo que neste ano o dia 20 de outubro foi definido como o dia internacional de ações pela despatologização trans.

Esta  foi a terceira edição do Trans Day NIGS, que começou em 2010,  e houve rodas de conversa sobre três assuntos fundamentais:

 

a) Saúde trans e políticas públicas, com  a participação de Ana Gabriela Sena, do Ministério da Saúde, que apresentou a discussão atual  sobre a revisão da portaria do processo transexualizador; Judit Busanello, diretora do Ambulatório Trans do CRT-SP, que apresentou as ações e fluxos do ambulatório trans do CRT; e Flávia Teixeira, professora da Universidade Federal de Uberlandia (UFU), coordenadora do ambulatório para pessoas trans da UFU, destacando a importância do ambulatório na formação de nov@s profissionais da saúde, em especial, médic@s.

Judit Busanello, Flávia Teixeira, Simone Avila, Ana Gabriela Sena

 

b) Nome social como estratégia de inclusão e aspectos jurídicos. Participaram dessa roda Corina Spíndola, do Departamento de Ações Inclusivas da UFSC, abordando a resolução do uso do nome social na Universidade; Patrícia Aguillera, estudante de Arquivologia da UFSC, que falou de sua experiência e as dificuldades com o nome social na UFSC; e Cláudia Nichnig, advogada e doutoranda interdisciplinar em ciências humanas da UFSC, que tratou dos ascpectos jurídicos da alteração do nome no registro civil.

Jimena Massa, Patrícia Aguillera, Corina Spíndola, Cláudia Nichnig

 

c) (In)visibilidades trans, com a presença de Léo Moreira Sá, representante da Associação Brasileira de Homens Trans (ABHT), que trouxe reflexões  sobre a necessidade de despatologizar as identidades trans; Lirous K'yo Fonseca Ávila, da Associação de Defesa dos Direitos Homossexuais (ADEH) de Florianópolis, que falou sobre sua vivência trans, e Laura Materdal, estudante de Serviço Social da UFSC, bolsista do NIGS, que abordou as dificuldades da inserção profissional das pessoas trans no mercado de trabalho.

Léo Moreira Sá, Marília Amaral, Lirous K'yo Fonseca Avila, Laura Materdal

 

Também aconteceu um bate-papo com João W. Nery, conhecido como o primeiro transhomem do Brasil, e sessão de autógrafos  de seu livro “Viagem solitária”, lançado no TRans Day 2011, uma mostra cinematográfica integrada por nove filmes e curtas recentemente estreados e um manifesto visual – exposição de fotografias – intitulado “Pelas ruas… sem etiquetas!”.

João W. Nery

 

O III Trans Day NIGS teve como objetivo ampliar a reflexão científica sobre temas da atualidade no campo dos estudos de gênero nacional e internacional, tendo como enfoque fundamental a (des)patologização das identidades trans e suas implicações tanto no plano subjetivo quanto no nível social e político. Ao mesmo tempo, o propósito foi profundar a troca de saberes entre a universidade, os movimentos sociais e o Estado, visando contribuir para o respeito à cidadania destes grupos sociais através da implementação de políticas públicas inovadoras no campo do gênero e das sexualidades.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!