Deputada espanhola Carla Antonelli denuncia vazamento de dados privados de pessoas transexuais operadas em Madri

21/01/2012 08:19

O nome de vinte e duas pessoas transexuais operadas no hospital La Paz, em Madrid, responsável por oferecer estes tratamentos dentro da Unidade de Identidade de Gênero nesta cidade, foi ao ar em um blog de uma publicação digital religiosa. O fato foi relatado pela deputada autônoma Carla Antonelli  (PSOE), que apresentou uma interpelação parlamentar na Câmara Regional.

Deputada Carla Antonelli

A lista especifica os nomes juntamente com o tipo de cirurgia (penectomia, aumento de mamas, vaginoplastia, etc) e processo (de homens para mulheres, por exemplo). O autor do blog, Manuel Morillo, diz que  se trata de "pacientes e casos reais", mas adverte que "os nomes foram modificados para evitar a repressão judicial do sistema."

Mas esta explicação não é nem um pouco convincente para as pessoas atingidas. absolutamente falso que os nomes foram mudados", diz Maria (nome fictício). "Isso é uma mentira, e além disso todos nos conhecemos e tenho várias amigas que, por sua vez, identificaram outras conhecidas." Alguns dos nomes são "tão peculiares que nós, que as conhecemos, não tivemos dúvidas sobre quem se referiam", diz ela.

A deputada Carla Antonelli chama de "a purificação de responsabilidades do hospital ou pessoas a partir do qual foram filtrados, os colaboradores necessários neste violação da Lei de Protecção de Dados e esta incitação ao ódio." O Departamento de Recursos Humanos da Comunidade de Madrid abriu uma investigação para ver se em algum momento ele violou a confidencialidade dos dados dos pacientes tratados na unidade, como relatado por um porta-voz do hospital de La Paz.

Antonelli exige "a apuração de responsabilidades do hospital ou pessoas a partir das quais os dados foram vazados, dos colaboradores desta violação da Lei de Proteção de Dados e esta incitação ao ódio." O Departamento de Recursos Humanos da Comunidade de Madri abriu uma investigação para ver se em algum momento ele violou a confidencialidade dos dados dos pacientes tratados na unidade, como relatado por um porta-voz do hospital de La Paz.

 

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui: sociedad.elpais.com/sociedad/2012/01/19/actualidad/1327008495_260881.html

 
 
 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!